Historia de São Paulo - AcheiViagem.com.br

Historia de São Paulo

7 Comentário(s)

Historia de São Paulo

A história da cidade de São Paulo começa em 25 de Janeiro de 1554, quando é construído um colégio de Jesuítas onde fazia parte dele dozes padres, entre eles Manuel da Nóbrega e José de Anchieta.

O colégio tinha por finalidade catequizar os índios que viviam na região do Planalto de Piratininga, separados do litoral pela Serra do Mar, chamada pelos índios de "Serra de Paranapiacaba".

A cidade ganhou o nome de São Paulo pelo fato do colégio ter sido inaugurado em 25 de Janeiro, dia em que a igreja católica celebra a conversão do apostolo Paulo de Tarso, assim informou o padre José Anchieta em carta enviada a seus superiores: A 25 de Janeiro do Ano do Senhor de 1554 celebramos, em paupérrima e estreitíssima casinha, a primeira missa, no dia da conversão do Apóstolo São Paulo e, por isso, a ele dedicamos nossa casa.

São Paulo permaneceu, durante os dois séculos seguintes, como uma vila pobre e isolada do litoral e se mantinha por meio de lavouras de subsistência. São Paulo foi, por muito tempo, a única vila no interior do Brasil. Esse isolamento de São Paulo se dava principalmente porque era dificílimo subir a Serra do Mar a pé da Vila de Santos ou da Vila de São Vicente para o Planalto de Piratininga.

Em 22 de março de 1681, o Marquês de Cascais, donatário da Capitania de São Vicente, transferiu a capital da Capitania de São Vicente para a Vila de São Paulo, que passou a ser a "Cabeça da Capitania". A nova capital foi instalada, em 23 de abril de 1683, com grandes festejos públicos.

Por São Paulo ser a região mais pobre da colônia, teve inicio as atividades dos bandeirantes, onde a caça de índios que eram vendidos como escravos. A descoberta do ouro na região de Minas Gerais, na década de 1690 foi outro meio de sobrevivência para os paulistas e fez com que as atenções do reino se voltassem para São Paulo.

Foi criada, então, em 3 de novembro de 1709, a nova Capitania Real de São Paulo e Minas do Ouro, quando foram compradas, pela coroa portuguesa, a Capitania de São Paulo e a Capitania de Santo Amaro de seus antigos donatários. Em 11 de julho de 1711, a Vila de São Paulo foi elevada à categoria de cidade. Logo em seguida, por volta de 1720, foi encontrado ouro, pelos bandeirantes, nas regiões onde se encontram hoje a cidade de Cuiabá e a Cidade de Goiás, fato que levou à expansão do território brasileiro para além da Linha de Tordesilhas.

Após a Independência do Brasil, ocorrida onde hoje fica o Monumento do Ipiranga, São Paulo recebeu o título de Imperial Cidade, conferido por Dom Pedro I do Brasil em 1823. Em 1827, houve a criação de cursos jurídicos no Convento de São Francisco, que daria origem à futura Faculdade de Direito do Largo de São Francisco. Isso deu um novo impulso de crescimento à cidade, com o fluxo de estudantes e professores, graças ao qual, a cidade passa a ser denominada Imperial Cidade e Burgo dos Estudantes de São Paulo de Piratininga.

Outro fator do crescimento de São Paulo foi a expansão da produção do café, inicialmente na região do Vale do Paraíba paulista, e depois nas regiões de Campinas, Rio Claro, São Carlos e Ribeirão Preto. De 1869 em diante, São Paulo passa a beneficiar-se de uma ferrovia que liga o interior da província de São Paulo ao porto de Santos, a Estrada de Ferro Santos-Jundiaí, chamada de A Inglesa.

Surgem, no final do século XIX, várias outras ferrovias que ligam o interior do estado à capital, São Paulo. São Paulo tornou-se, então, o ponto de convergência de todas as ferrovias vindas do interior do estado. A produção e exportação de café permitem à cidade e à província de São Paulo, depois chamada de Estado de São Paulo, um grande crescimento econômico e populacional.

Em 1932, São Paulo se mobiliza no seu maior movimento cívico: a revolução constitucionalista, quando toda a população se engaja na guerra contra o "Governo Provisório" de Getúlio Vargas. Em 1934, com a reunião de algumas faculdades criadas no século XIX e a criação de outras, é fundada a Universidade de São Paulo, hoje a maior do Brasil.

Outro grande surto industrial deu-se, durante a Segunda Guerra Mundial, devido à crise na cafeicultura na década de 1930 e às restrições ao comércio internacional durante a guerra, o que fez a cidade ter uma taxa de crescimento econômico muito elevado que se manteve elevada no pós-guerra.

Em 1947, São Paulo ganha sua primeira rodovia asfaltada: a Via Anchieta, construída sobre o antigo traçado do Caminho do Padre José de Anchieta, liga a capital ao litoral paulista. Na década de 1950, São Paulo era conhecida como A cidade que não pode parar e como A cidade que mais cresce no mundo.

São Paulo realizou uma grande comemoração, em 1954, do quando a cidade comemorava seu quarto centenário então inauguraram o Parque do Ibirapuera, além de serem lançados muitos livros históricos sobre a cidade.

Com a transferência, a partir da década de 1950, de parte do centro financeiro da cidade que fica localizado no centro histórico, em uma região chamada de Triângulo Histórico, para a Avenida Paulista, as suas mansões foram, na sua maioria, substituídas por grandes edifícios.

Em um livro sobre turismo na cidade de São Paulo, editado pela prefeitura de São Paulo em 1959, intitulado Notícia de Turismo, que tem a sua apresentação feita pelo prefeito Ademar de Barros, São Paulo é apresentada como: A cidade que mais cresce no mundo, A Cidade da moderna arquitetura, A cidade das pontes e dos viadutos e A Cidade do Progresso.

No período da década de 1930 até a década de 1960, os grandes empreendedores do desenvolvimento de São Paulo foram o prefeito Francisco Prestes Maia e o governador do Estado de São Paulo Ademar de Barros, o qual também foi prefeito de São Paulo entre 1957 e 1961. Prestes Maia projetou e implantou, na década de 1930, o Plano de Avenidas de São Paulo, que revolucionou o trânsito de São Paulo.

Comentários sobre São Paulo

Envie seu Comentário

Copyright © 2012 AcheiViagem.com.br - Todos os direitos reservados | Proibida reprodução ou utilização a qualquer conteúdo.